Passos sobre o passado

Passos Sobre o Passado

Não fui, na infância, como os outros

e nunca vi como outros viam.

Minhas paixões eu não podia

tirar de fonte igual à deles;

e era outra a origem da tristeza,

e era outro o canto,

que acordava o coração para a alegria.

Tudo o que amei, amei sozinha.

Assim, na minha infância,

na alva da tormentosa vida,

ergueu-se, no bem e no mal,

de cada abismo,

a encadear-me, o meu mistério.

Veio dos rios, veio da fonte,

da rubra escarpa da montanha,

do sol, que todo me envolvia

em outonais clarões dourados;

e dos relâmpagos vermelhos

que o céu inteiro incendiavam;

e do trovão, da tempestade,

daquela nuvem que se alteava,

só, no amplo azul do céu puríssimo,

como um demônio, ante meus olhos.

Passos sobre o passado

Apenas uma carcaça vazia movida a engrenagens desconexas, que busca alívio nas palavras vãs de um desabafo doloroso.

One thought on “Passos sobre o passado”

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: