Origem do Nome de Lilith

Lilite como a serpente em pintura de Rafael Sanzio em 1508 d.C
Lilith como a serpente em pintura de Rafael Sanzio em 1508 d.C
A Lenda de Lilith, a Primeira Esposa de Adão - Parte 01.

 

Eu sempre fui profundamente atraída pelo nome de Lilith, força e beleza que me contagiam mesmo antes de começar minhas pesquisas muitos anos atrás. Mas agora eu me dei conta que os textos que rodam pela internet sobre sua história, sua verdadeira origem, não são confiáveis. Assim sendo, é necessário uma busca mais profunda e mais embasada em textos religiosos antigos.

Lilith, a Primeira Esposa de Adão

De acordo com o folclore judaico, Lilith foi a primeira mulher de Adão. Embora isso não seja explicitamente mencionado na Torá (o nome dado aos cinco primeiros livros do Tanakh e que constituem o texto central do judaísmo), ao longo dos séculos, ela foi associada à Adão como uma forma para explicar o fato de que existem duas versões contraditórias da criação no livro do Gênesis.

 

Lilith e a História Bíblica da Criação

O livro bíblico de Gênesis contém dois relatos contraditórios da criação da humanidade. A primeira conta é conhecido como a versão Sacerdotal e aparece em Gênesis 1: 26-27.

Aqui Deus molda homem e mulher simultaneamente quando o texto diz: “E criou Deus o homem à sua imagem; homem e mulher os criou.”

O segundo relato da Criação é conhecido como a versão Yahwistic (fonte do Torá hebraico/judaico) e é encontrado em Gênesis 2. Esta é a versão da Criação, que a maioria das pessoas está familiarizada. Deus cria Adão, em seguida, coloca-o no Jardim do Éden. Pouco tempo depois, Deus decide dar uma companhia para Adão e cria os animais da terra e do céu, para ver se algum deles são parceiros adequados para o homem. Deus traz cada animal a Adão, que nomeia antes de finalmente decidir que isso não é uma “ajuda adequada”. Deus, então, provoca um profundo sono a cair sobre Adão e enquanto o homem está dormindo, Deus molda Eva a partir de sua costela. Quando Adão acorda, ele reconhece Eva como parte de si mesmo e a aceita como sua companheira.

Entretanto, os rabinos antigos notaram que duas versões contraditórias da Criação aparecem no livro de Gênesis (que é chamado Bereisheet em hebraico). Eles tentam explicam a discrepância de duas maneiras:

  • Uma era explicar que a primeira versão da Criação efetivamente refere-se à primeira mulher de Adão, uma “primeira Eva. ‘Mas Adão estava descontente com ela, então Deus substituiu-a com uma “segunda Eva”, que atendeu às necessidades de Adão.
  • Outra interpretação descreve a criação de um andrógino – uma criatura que era ao mesmo tempo homem e mulher (Gênesis Rabbah 8: 1, Levítico Rabbah 14: 1). Esta criatura foi então dividida em um homem e uma mulher na versão Yahwistic (Espero fazer mais pesquisas sobre essa criatura em breve e explico aqui ok?).

Embora a tradição de duas mulheres – duas Evas – aparece logo no início, esta interpretação do cronograma de criação não foi associada com o personagem de Lilith até o período medieval.

Lilith como a Primeira Esposa de Adão

Os estudiosos não têm certeza de onde o personagem de Lilith vem, embora muitos acreditam que ela foi inspirado em mitos sumérios sobre vampiras chamados “Lillu”. Ou oriundos de mitos da Mesopotâmia sobre Succubae (demônios femininos noturnos) chamados “lilin.”

Lilith é mencionada quatro vezes no babilônico Talmude (um livro sagrado dos Judeus), mas apenas a partir do Alfabeto de Ben Sira (c. 800s para 900s) que o personagem de Lilith fica associada com a primeira versão da Criação. Neste texto medieval, Ben Sira nomeia Lilith como a primeira mulher de Adão e apresenta um relato completo de sua história.

De acordo com Ben Sira, Lilith foi a primeira mulher de Adão, mas o casal discutia o tempo todo. Eles não se entendiam nos assuntos de sexo, pois Adão sempre queria estar no topo, enquanto Lilith também queria provar a posição sexual dominante. Quando eles não conseguiam mais concordar com o outro, Lilith decidiu deixar Adão. Ela pronunciou o nome de Deus e voou no ar, deixando Adam sozinho no Jardim do Éden.

Deus enviou três anjos atrás dela e ordenou-lhes para trazê-la de volta para seu marido, mesmo se fosse necessário utilizar-se da força bruta se ela não viesse por espontânea vontade. Mas quando os anjos encontraram-na no Mar Vermelho, ela se recusa a voltar para Éden, alegando que foi criada para devorar crianças. A história de Ben Sira sugere que Lilith é conduzida para matar bebês em retaliação pelos maus-tratos de Adão e insistência de Deus, matando 100 de sua progênie diariamente. Para evitar que os três anjos a afoguem no Mar Vermelho, Lilith jura em nome de Deus que ela não irá prejudicar qualquer criança que usar um amuleto que contiver os nomes dos três anjos. Ironicamente, forjando um acordo com Deus e dos anjos, Lilith demonstra que ela não está totalmente separada do divino, narrado da seguinte maneira nos textos de Ben Sira:

[Os três anjos a encontram no Mar Vermelho … Eles agarram-na e disseram:” Se você concordar em vir conosco, venha, e se não, vamos afogá-la no mar”. Ela respondeu: “Queridos, eu mesma sei que Deus me criou só para atingir bebês com a doença fatal quando eles estiverem com oito dias de idade; Terei permissão para prejudicá-los desde o seu nascimento ao oitavo dia e não mais; quando for do sexo masculino; mas quando é um bebê do sexo feminino, terei permissão para 12 dias”. Os anjos não a deixariam sozinha, até que ela jurou por nome de Deus que onde ela pudesse ver os anjos ou seus nomes em um amuleto, ela não poderia possuir a criança].

O Alfabeto de Ben Sira parece combinar lendas de demônios femininos com a idéia da “primeira Eva”. O resultado é uma história sobre Lilith, uma mulher assertiva que se rebelou contra Deus e seu marido, foi substituída por outra mulher, e foi demonizado no folclore judaico como uma perigosa assassina dos bebês.

Lendas posteriores também a caracterizam como uma mulher bonita que seduz homens ou copula com eles em seu sono (uma súcubus), em seguida, gera filhos do demônio. De acordo com alguns relatos, Lilith é a Rainha dos Demônios.

Ainda existe muita coisa a ser dita sobre ela e sua “revolta”. Mas em uma tentativa de não criar gigantescos textos que ninguém se dará ao trabalho de ler atenciosamente, estarei fragmentando o assunto^^

A Lenda de Lilith, a Primeira Esposa de Adão - Parte 01.
Origem do Nome de Lilith

Apenas uma carcaça vazia movida a engrenagens desconexas, que busca alívio nas palavras vãs de um desabafo doloroso.

Tagged on:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: