Blog

Eu me lembro

Quem está aí?   E me lembro dos flashes de risadas E lunáticos perdidos em suas almas Propagandas […]

Açucar, água e máquina

Qualquer pessoa pode ser seduzida pelo doce e convidativo sabor do açúcar. Mas será que você conhece todos os elementos químicos que o compõe? Conhece o sabor de cada um destes componentes isoladamente?

E se você pudesse? Como seria ter essa habilidade de “paladar seletivo”? Talvez isso não devesse nem ser chamado de habilidade, é algo grandioso demais para ser rotulado apenas como uma habilidade. Necessidade. Sim, uma necessidade.

Vontade de me fechar, de me calar que qualquer balbucear se compara a trovões em tempestuosas noite…
Vontade de mudar, sem saber por onde começar ou onde ir, sentindo-me perdido e só; tentando encontrar significado e consolo no que tenho hoje…
Vontade de recomeçar sem saber por onde. Simplesmente recomeçar para que o novo se faça prazeiroso e curioso a minha vista e o incerto torna-se terras a desbravar…
Medo, medo de não conseguir preencher o vazio que se encontra em minha vida e de continuar onde estou…
Mudar…
Avançar…
Cair…
Levantar…
Vencer…
Conquistar…

… E quem sabe amar…

Separator image

Conto de David Bowie escrito por Neil Gaiman

Em sua última coletânea de contos,Trigger Warning, Neil Gaiman publicou uma história cuja referência pode ter passado despercebida aos leitores que não conhecem David Bowie: “The Return of the Thin White Duke” (“O Retorno do Magro Duque Branco” em português), em clara referência à canção de Bowie “Station to Station”, em que a frase aparece como um dos versos da música.

A arte de “The Return of the thin white duke”.

 

Nessa história, conhecemos o “mito criador” de David Bowie, de forma sutil e etérea (ainda que o autor tenha chamado de ‘fan fiction’ em seu site). As referências são claras: além do verso que virou título do conto, Gaiman homenageia o cantor britânico falando que o “Duque” criava estrelas, um elemento bastante presente na obra de Bowie. Os traços do personagem, ilustrados por Yoshitaka Amano (que trabalhou em parceria com Gaiman) também não deixam dúvidas.

Lápis Vermelho para uma Mão

Ela tinha um lápis vermelho Mas sua criatividade estava afogada Em uma poça amarga. Ele tinha um dedo […]

Minha doce irmã

Minha doce irmã Cresci em um mundo cruel, cercada de vorazes devoradores de esperança, de assassinos de felicidade. […]

Carrosel

Carrosel    I can hear the breathing All around me It’s sound is charming me Back to my […]

The Spirit of a Lost Soul

The Spirit of a Lost Soul And I realize that I’m not fitting in this world, this interests, […]

And I Know That I’m Crazy

And I Know That I’m Crazy And I know that I’m crazy and I know I am not […]

Sopro Noturno

 Sopro Noturno Sinto o sopro em minha espinha. Um vento gelado que penetra pela janela de meu quarte […]

Louca Lógica da Lótus Negra

Louca Lógica da Lótus Negra Tomava eu uma coca-cola fria, Fria como a ironia da vida. A lata […]

Monólogo com a Escuridão

Monólogo com a Escuridão Ei vc, no canto abraçando os joelhos! Olho e nada vejo além da escuridão […]

Poema – Cárcere da Espera

CÁRCERE DA ESPERA Aprisionado em uma gaiola de aço Sob uma chuva lacrimosa Realmente não sei o que […]

Agonia na Espera

AGONIA NA ESPERA Esperando notícias que não chegam Mensagens que o destinatário não alcançam E pelas dimensões infinitas […]

Traição I: Sempre à Espreita

TRAIÇÃO I: SEMPRE À ESPREITA   Dedos gélidos cercam o coração Um frio no peito que dói Como […]

Desejos Escuros

DESEJOS ESCUROS Pensamentos esparsos sofrimentos em espasmos Noites em claro dor sem preparo Olho sem ver Escuto sem […]

Tempo da Alma

TEMPO DA ALMA As folhas do outono caem ao vento As trevas permeiam minha alma a vida se […]

Desabafo Expresso em um dia Escuro

DESABAFO EXPRESSO EM DIA ESCURO Um segundo de fôlego Um suspiro inaudível E a lágrima que agora brota […]

Soneto LXV

SONETO LXV Se a morte predomina na bravura Do bronze, pedra, terra e imenso mar, Pode sobreviver a […]

Passos sobre o passado

Passos Sobre o Passado Não fui, na infância, como os outros e nunca vi como outros viam. Minhas […]

Ponderações…

Ponderações A amizade consegue ser tão complexa… Deixa uns desanimados, outros bem felizes… É a alimentação dos fracos […]

Tua Vitória

Tua Vitória   Apenas um pingo Uma leve marca negra perfura meu peito abre minha alma.    Sangro […]

Murmúrio Gélido

Murmúrio Gélido Vivo a plenitude de meu ódio! amando a mazela que me devora: uma bela bruxa que […]